terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Invisíveis, mas não ausentes

Quando morreu, no século XIX, Victor Hugo arrastou nada menos que dois milhões de acompanhantes em seu cortejo fúnebre, em plena Paris.

Lutador das causas sociais, defensor dos oprimidos, divulgador do ensino e da educação, o genial literato deixou textos inéditos que, por sua vontade, somente foram publicados após a sua morte.

Um deles fala exatamente do homem e da imortalidade e se traduz mais ou menos nas seguintes palavras:

A morte não é o fim de tudo. Ela não é senão o fim de uma coisa e o começo de outra. Na morte o homem acaba, e a alma começa.

Que digam esses que atravessam a hora fúnebre, a última alegria, a primeira do luto. Digam se não é verdade que ainda há ali alguém, e que não acabou tudo?

Eu sou uma alma. Bem sinto que o que darei ao túmulo não é o meu eu, o meu ser. O que constitui o meu eu, irá além.

O homem é um prisioneiro. O prisioneiro escala penosamente os muros da sua masmorra, coloca o pé em todas as saliências e sobe até ao respiradouro.

Aí, olha, distingue ao longe a campina, aspira o ar livre, vê a luz.

Assim é o homem. O prisioneiro não duvida que encontrará a claridade do dia, a liberdade. Como pode o homem duvidar se vai encontrar a eternidade à sua saída?

Por que não possuirá ele um corpo sutil, etéreo, de que o nosso corpo humano não pode ser senão um esboço grosseiro?

A alma tem sede do absoluto e o absoluto não é deste mundo. É por demais pesado para esta Terra.

O mundo luminoso é o mundo invisível. O mundo do luminoso é o que não vemos. Os nossos olhos carnais só vêem a noite.

A morte é uma mudança de vestimenta. A alma, que estava vestida de sombra, vai ser vestida de luz.

Na morte o homem fica sendo imortal. A vida é o poder que tem o corpo de manter a alma sobre a Terra, pelo peso que faz nela.

A morte é uma continuação. Para além das sombras, estende-se o brilho da eternidade.

As almas passam de uma esfera para outra, tornam-se cada vez mais luz, aproximam-se cada vez mais e mais de Deus.

O ponto de reunião é no infinito.

Aquele que dorme e desperta, desperta e vê que é homem.

Aquele que é vivo e morre, desperta e vê que é Espírito.

* * *

Muitos consideram que a morte de uma pessoa amada é verdadeira desgraça, quando, em verdade, morrer não é finar-se nem consumir-se, mas libertar-se.

Assim, diante dos que partiram na direção da morte, assuma o compromisso de preparar-se para o reencontro com eles na vida espiritual.

Prossiga em sua jornada na Terra sem adiar as realizações superiores que lhe competem, pois elas serão valiosas, quando você fizer a grande viagem, rumo à madrugada clarificadora da eternidade.


Autor:
Redação do Momento Espírita, a partir do cap. Palavras do autor e cap.A França chora seu maior poeta, do livro Victor Hugo e seus fantasmas, de Eduardo Carvalho Monteiro, ed. Eme.

ABRAÇOS APERTADOS :) :) :)

12 comentários:

  1. às vezes a melhor coisa que temos a fazer é acreditar em Deus e que foi melhor assim, que o sofrimento acabou.

    ResponderExcluir
  2. Vera Henke do sullll sem chuva8 de dezembro de 2009 17:32

    Querida Rosário!
    A ceitemos a nossa finitude e de hoje em diante vivamos bem, dentro das possibilidades,sonhando, sendo mais humanas e acreditando no lindo texto , embora triste , que você postou. Continuo a te abraçar forte, forte.
    da vizinha
    Vera

    ResponderExcluir
  3. oi mami, passando para deixar beijinhos e desejar melhoras!!!

    Amo vc, Gi

    ResponderExcluir
  4. Menina do Rio de GALOCHAS9 de dezembro de 2009 06:36

    Alouuuuuuuuu, RIO ALAGADO chamando SAMPA SEQUINHA, genteeeeeeeeee aqui chove barbaridadesssssssss!

    Saudades de vocês queridas e quero dizer o seguinte: vocês viram o depoimento de ontem na novela??
    Depois de toda aquela GARRA E SUPERAÇÃO digo a vocês, SOMOS TODOS MUITO FELIZESSSSSSSSSSSSS!

    Um dia abençoado para todos deste blog lindo e carinhoso, beijins, beijins nos corações de vocês!

    ResponderExcluir
  5. Olá... já começo dizendo que estou te seguindo. Há pouco tempo descobri im câncer de mama, fiz mastectomia e quimioterapia. Também criei um blog http://diariocancerdemama.blogspot.com para poder compartilhar e trocar informações sobre esta doença. Li alguns de seus posts e fiquei admirada com sua luta. Parabéns! Você realmente é uma guerreira. Muita luz, paz e saúde para você sempre!!! Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Salve salve Rosária. Que tal prosseguirmos por aqui com fé, garra e determinação? Temos tanto ainda a fazer...não temos?!
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi querida amiga!como disse Vera Henke, que lindo texto embora triste mas muito verdadeiro.Eu so descobri o conforto e paz interior, depois de perder minha mae, acreditando que eu ainda estarei com ela um dia.Alias eu tenho certeza disso.Amiga linda e forte,sei que vai seguir sua batalha e no ar sempre ira sentir o cheiro das orquideas, assim como eu posso sentir, o cheiro das rosas amarelas que eram impar na vida de minha mae e hoje sao especiais para mim.Preciso te contar que nossa amiga Mila, esse encanto de amiga, me levara a Fatima no domingo para que eu possa te levar uma lembranca diretamente de la.Se cuida amiga e fica com Deus.

    ResponderExcluir
  8. A um amigo morimbundo que me perguntou sobre a morte eu respondi:

    - A morte é a solução para quem sofre.

    E lembrei-lhe a história de Aurora e Jasão!

    ResponderExcluir
  9. Rosário, a vida está nos chamando! Vamos a ela, querida, pq temos missão a cumprir.
    Beijo e abraço apertado
    LindaZ

    ResponderExcluir
  10. Eliane Furtado , domingo13 de dezembro de 2009 17:03

    AlÔ ALÔ Sampa. Aguardando notícias aqui no Rio. Então, vamos fazer um brinde em pensamento na noite de natal? Pela nossa luta e de todos os amigos, pela esperança e por mais este natal.
    Até amanhã Ro. Acooooorda. Estou te esperando.

    ResponderExcluir
  11. Querida Rosário!
    Sei que vc está se recuperando... Sei que não é facil, mas como vc e e a Linda Z dizem "vamo que vamo". "força na peruca". Há muita coisa para ser feita,o BENDIZER te espera.
    Te abraço
    Vera

    ResponderExcluir
  12. Oi Rosário...
    Este foi um ano de perdas, acredito que para o próximo será de ganhos. Perdi minha avó que há mais de dois anos sofria de mal de Alzeimer e aos mesmos 2 anos desenganada pelos médicos. Você é uma pessoa muito especial, pois eu, como fraca que sou, não tive coragem de visitar a pessoa que mais me ensinou na vida o que é de fato o amor em seus últimos dias de vida. Com isso quero dizer que você logo superará isso, porque o que você podia fazer você fez! Aproveitou seus momentos com ela, deu apoio, carinho e tudo que poderia enquanto ela esteve aqui encarnada. Agora ela se transformou em luz e com certeza estará ao seu lado sempre te dando força para continuar sua história por aqui!

    Beijos da Sil (amiga da Gi)

    Fique boa porque ainda estou esperando meu picadinho!!! hehehehehehe

    ResponderExcluir